#CoopGeeks: 5 motivos para assistir “Fullmetal Alchemist”

Sucesso internacional em todas as mídias em que foi lançado, “Fullmetal Alchemist”, anime inspirado no mangá de mesmo nome escrito e ilustrado por Hiromu Arakawa (o qual circulou originalmente pelo Japão durante os anos de 2001 a 2010, em 27 volumes), é o grande destaque do nosso TOP 5 de hoje para o Co-op Geeks. Produzido pelo estúdio “Bones” e desenvolvido ao longo de 51 episódios dirigidos por Seiji Mizushima e roteirizados por Shō Aikawa – e que foram ao ar pela primeira vez entre outubro de 2003 a outubro de 2004, pela “MBS” –, não demorou muito para sair da “Terra do Sol Nascente” e transformar-se em uma franquia gigantesca que alcançou o universo dos videogames, dos cinemas e até mesmo dos álbuns de figurinhas.

Assim, decidimos trazer para vocês, queridos leitores, 5 motivos inquestionáveis para todos aqueles que já pensaram em conferir esta obra, mas que, por alguma razão, não levaram seus planos adiante (e precisam, de uma vez por todas, conhecer um dos melhores animes da década passada). Fiquem tranquilos… texto é livre de spoilers:

5 MOTIVOS PARA ASSISTIR “FULLMETAL ALCHEMIST”

#CoopGeeks: O terror em oito patas – “A Colônia”, de Ezekiel Boone

Mesmo antes de “The Walking Dead” ganhar a indústria das HQs no começo dos anos 2000 e “Resident Evil” estrear para PSOne no meio da década de 90, muito se falava, no âmbito da ficção científica, sobre a chegada de uma era pré-apocalíptica não muito distante. Já acostumados à ideia de um terrível ataque zumbi ou de uma decisiva batalha religiosa envolvendo Deus e o Diabo, não há dúvidas de que recebemos, nos últimos anos, inúmeras novidades que abordaram este tema e conquistaram tanto a TV (“The Strain”, “IZombie”) como o cinema (“Constantine”, “Zumbilândia”).

Entretanto, poucas foram as obras que decidiram inovar radicalmente, e se você, caro leitor, esteve procurando por algo que fosse capaz de tirar o seu fôlego – e, simultaneamente, lhe deixar todo arrepiado –, talvez esta resenha seja a resposta que tanto esperava. Combinando ficção estrangeira com suspense e um pouquinho de romance, você encontrará em “A Colônia”, do novato Ezekiel Boone, diversos motivos que desconstruirão essa mesmice que há muito nos persegue e descobrirá, em uma linguagem bem adulta, os segredos que circundam a sua trama do início ao fim.

O TERROR EM OITO PATAS: A COLÔNIA, DE EZEKIEL BOONE

#CoopGeeks: Tirando da Estante – Friends

Muita coisa mudou imensamente desde que “Friends” foi ao ar, pela primeira vez, em um longínquo setembro de 1994: uma época em que muitos de nós ainda mal sabíamos andar ou falar. Tornando-se uma referência mundial para outros programas televisivos que o sucederam, o aclamado sitcom perdurou por uma década levando até o público um material inovador que, diga-se de passagem, foi certeiro ao conquistar gerações e gerações de apaixonados telespectadores.

Relembrando diversos pontos imperdíveis, na publicação de hoje para o Co-op Geeks selecionamos um compilado de informações que não poderia passar despercebido em uma publicação tão nostálgica como esta. Tentando agradar tanto aos ressentidos órfãos de David Crane e Marta Kauffman quanto aos novatos que jamais viram um episódio sequer, vocês encontram, no link a seguir, um pouquinho mais sobre um dos melhores espetáculos já produzidos na história da televisão norte-americana. Estão prontos?

TIRANDO DA ESTANTE: FRIENDS

#CoopGeeks: 5 filmes de terror que quase chegaram lá

O que vem à sua cabeça quando você ouve ou lê a expressão “um bom filme de terror”? Se seu cérebro ficou dividido entre os memoráveis slasher dos anos 70 e 80 (“O Massacre da Serra Elétrica”, “Halloween”, “Sexta-feira 13”) ou entre as lendas do horror psicológico de décadas e décadas atrás (“Psicose”, “O Exorcista”, “O Iluminado”), saiba que é porque você já foi apresentado a algumas obras-primas que, felizmente, eternizaram-se no cenário do cinema internacional e foram condecoradas com muito prestígio ao decorrer dos últimos 50 anos.

Porém, vez ou outra nos deparamos com alguns títulos que, por mais que não tenham um grande reconhecimento de público ou de crítica, não fizeram tão feio e nos passaram aquela sensação de quase terem chegado lá. Seja por seus enredos instigantes, seja pela sua pesada ambientação, muitas dessas produções podem até deixar a desejar em algum requisito ou outro – o que, de qualquer maneira, não diminui o mérito por terem se tornado quase-clássicos de um gênero tão oscilante como o terror. Filmes que, por alguma razão, não receberam (mas mereciam) um pouquinho mais da nossa atenção.

Assim, fizemos algumas buscas pela internet e reunimos, a seguir, 5 longas-metragens injustiçados que você provavelmente não conhece (e pode até já ter ouvido falar), mas que, definitivamente, valem a pena ser conferidos um a um:

5 FILMES DE TERROR QUE QUASE CHEGARAM LÁ

#CoopGeeks: 8 animes da infância que são inesquecíveis

Vez ou outra, liberamos lá no Co-op Geeks diversas listas com ícones do passado que certamente fizeram parte da vida de muita gente que acompanha cada uma de nossas colaborações – como esta com os 5 filmes da infância de quem nasceu nos anos 90. Agora, mudando o foco para a tão venerada cultura oriental, chegou o momento de resgatarmos alguns memoráveis animes que não apenas marcaram a nossa infância, mas continuam, até os dias atuais, tão nostálgicos quanto em seus mais remotos tempos. Ficou curioso para saber de quais produções estamos falando? Então se ligue no link a seguir e relembre:

8 ANIMES DA INFÂNCIA QUE SÃO INESQUECÍVEIS