Confira os melhores momentos e a lista completa de vencedores do “Oscar 2016”

Ontem, 28/02, foi noite de “Oscar” e, como de costume, não poderíamos deixar de lado a nossa já conhecida mini cobertura com o que de melhor rolou no evento que premia os últimos lançamentos da indústria cinematográfica.

Em 24 categorias disputadíssimas, a 88ª edição da premiação surpreendeu-se ao se mostrar uma das mais acirradas dos últimos anos, rendendo, inclusive, algumas vitórias um tanto quanto inesperadas para o pessoal que estava acompanhando o evento (seja de casa, seja da plateia) – como “Melhor Filme” e “Melhor Canção Original”, por exemplo. Porém, em meio a tantos discursos sobre a igualdade racial e inúmeras lágrimas dos vencedores, a noite comemorativa teve, de longe, dois momentos pra lá de especiais que chamaram a atenção de todos os holofotes: Lady Gaga e Leonardo DiCaprio.

Mesmo não levando o troféu por “Melhor Canção Original”, a “Mother Monster” honrou seu nome em uma apresentação altamente emotiva da indicada “Til It Happens to You” – a qual teve seu ápice com a entrada de diversas outras vítimas de abusos sexuais no palco, do ladinho da cantora (a música havia sido gravada para um documentário que falava sobre o mesmo tema). Outras performances musicais incluíram The Weeknd, com “Earned It” (do filme “Cinquenta Tons de Cinza”), e Sam Smith, com o vitorioso tema para “007 Contra Spectre”.

Contudo, se para os little monsters a noite não foi tão proveitosa como o esperado, para os fãs de Leonardo DiCaprio foi, definitivamente, uma das mais importantes de sua carreira. Após ser indicado quatro vezes e voltar para casa com as mãos abanando (desde 1993 o ator vem sendo indicado ou ignorado pela “Academia”), a justiça parece finalmente ter sido alcançada depois que a bancada da cerimônia se rendeu aos encantos do moço e o consagrou com a estatueta que já foi motivo de muitas piadas pelo mundão da internet. Mas, se por um lado Leo deixou de ser um dos maiores memes da história da humanidade, por outro Gloria Pires chegou na transmissão da “Rede Globo” para substitui-lo em alto nível.

Por esta página do Facebook você confere todas as apresentações musicais que rolaram no palco da premiação, e, a seguir, a lista completa de indicados e vencedores (nomes em negrito revelam quem foi o vitorioso):

Melhor Filme: “A Grande Aposta” // “Ponte dos Espiões” // “Brooklyn” // “Mad Max: Estrada da Fúria” // “Perdido em Marte” // “O Regresso” // “O Quarto de Jack” // “Spotlight: Segredos Revelados”

Melhor Direção: Alejandro G. Iñárritu (“O Regresso”) // Tom McCarthy (“Spotlight: Segredos Revelados”) // George Miller (“Mad Max: Estrada da Fúria”) // Adam McKay (“A Grande Aposta”) // Lenny Abrahamson (“O Quarto de Jack”)

Melhor Ator: Bryan Cranston (“Trumbo”) // Matt Damon (“Perdido em Marte”) // Leonardo DiCaprio (“O Regresso”) // Michael Fassbender (“Steve Jobs”) // Eddie Redmayne (“A Garota Dinamarquesa”)

Melhor Atriz: Cate Blanchett (“Carol”) // Brie Larson (“O Quarto de Jack”) // Jennifer Lawrence (“Joy”) // Charlotte Rampling (“45 Anos”) // Saoirse Ronan (“Brooklyn”)

Melhor Ator Coadjuvante: Christian Bale (“A Grande Aposta”) // Tom Hardy (“O Regresso”) // Mark Ruffalo (“Spotlight: Segredos Revelados”) // Mark Rylance (“Ponte dos Espiões”) // Sylvester Stallone (“Creed”)

Melhor Atriz Coadjuvante: Jennifer Jason Leigh (“Os 8 Odiados”) // Rooney Mara (“Carol”) // Rachel McAdams (“Spotlight: Segredos Revelados”) // Alicia Vikander (“A Garota Dinamarquesa”) // Kate Winslet (“Steve Jobs”)

Melhor Filme Estrangeiro: “O Abraço da Serpente” (Colômbia) // “Cinco Graças” (França) // “O Filho de Saul” (Hungria) // “O Lobo do Deserto” (Jordânia) // “Guerra” (Dinamarca)

Melhor Animação: “Anomalisa” // “O Menino e o Mundo” // “Divertida Mente” // “Shaun, o Carneiro” // “As Memórias de Marnie”

Melhor Roteiro Original: “Ponte dos Espiões” // “Ex Machina” // “Divertida Mente” // “Spotlight – Segredos Revelados” // “Straight Outta Compton”

Melhor Roteiro Adaptado: “A Grande Aposta” // “Brooklyn” // “Carol” // “Perdido em Marte” // “O Quarto de Jack”

Melhor Figurino: “Carol” // “Cinderela” // “A Garota Dinamarquesa” // “Mad Max: Estrada da Fúria” // “O Regresso”

Melhor Cabelo e Maquiagem: “Mad Max: Estrada da Fúria” // “The 100-year-old Man Who Climbed out the Window and Disappeared” // “O Regresso”

Melhores Efeitos Visuais: “Ex Machina” // “Mad Max: Estrada da Fúria” // “Perdido em Marte” // “O Regresso” // “Star Wars: O Despertar da Força”

Melhor Fotografia: “Carol” // “Os Oito Odiados” // “Mad Max: Estrada da Fúria” // “O Regresso” // “Sicario”

Melhor Mixagem de Som: “Mad Max: Estrada da Fúria” // “Perdido em Marte” // “O Regresso” // “Sicario” // “Star Wars: O Despertar da Força”

Melhor Edição de Som: “Mad Max: Estrada da Fúria” // “Perdido em Marte” // “O Regresso” // “Sicario” // “Star Wars: O Despertar da Força”

Melhor Canção Original: “Earned It”, The Weeknd (“Cinquenta Tons de Cinza”) // “Manta Ray”, J. Ralph & Antony (“Racing Extinction”) // “Simple Song #3”, Sumi Jo e Viktoria Mullova (“Youth”) // “Writing’s on the Wall”, Sam Smith (“007 Contra Spectre”) // “Til It Happens to You”, Lady Gaga (“The Hunting Ground”)

Melhor Trilha Sonora Original: “Ponte dos Espiões” // “Carol” // “Os 8 Odiados” // “Sicario” // “Star Wars: O Despertar da Força”

Melhor Direção de Arte: “Ponte dos Espiões” // “A Garota Dinamarquesa” // “Mad Max: Estrada da Fúria” // “Perdido em Marte” // “O Regresso”

Melhor Montagem: “A Grande Aposta” // “Mad Max: Estrada da Fúria” // “O Regresso” // “Spotlight: Segredos Revelados” // “Star Wars: O Despertar da Força”

Melhor Documentário: “Amy” // “Cartel Land” // “The Look of Silence” // “What Happened, Miss Simone?” // “Winter on Fire: Ukraine’s Fight for Freedom”

Melhor Documentário Curta-metragem: “Body Team 12” // “Chau, Beyond the Lines” // “Claude Lanzmann: Spectres of the Shoah” // “A Girl in the River: The Price of Forgiveness” // “Last Day of Freedom”

Melhor Curta de Animação: “Bear Story” // “Prologue” // “Sanjay’s Super Team” // “We Can’t Live Without Cosmos” // “World of Tomorrow”

Melhor Curta em Live Action: “Ave Maria” // “Day One” // “Everything Will Be Okay (Alles Wird Gut)” // “Shok” // “Stutterer”

Confira a lista com os principais vencedores do “Grammy 2016”

Ontem, segunda-feira (15/02), foi noite de “Grammy Awards”, e assim como de costume, não poderíamos deixar de fora do Caí da Mudança um pouquinho sobre a premiação mais prestigiada da indústria fonográfica.

Com direito a diversas performances (as quais podem ser conferidas por esta página do Facebook) que variaram de Adele à Ellie Goulding e um tributo ao David Bowie protagonizado por Lady Gaga, você confere mais abaixo a nossa lista de indicados/vencedores com as principais categorias do evento (nomes em negrito revelam quem levou a melhor para casa).

Em meio a poucos destaques durante a noite, um dos mais memoráveis, sem sombra de dúvidas, foi o discurso de Taylor Swift durante o anúncio de sua vitória por “Álbum do Ano” (o segundo de sua carreira), no qual a cantora pode dar um chega pra lá em Kanye West e responder os últimos ataques propagados pelo rapper (saiba mais aqui).

A seguir, veja os vencedores do “Grammy Awards”:

Gravação do Ano: “Really Love” (D’Angelo) // “Uptown Funk” (Mark Ronson e Bruno Mars) // “Thinking Out Loud” (Ed Sheeran) // “Blank Space” (Taylor Swift) // “Can’t Feel My Face” (The Weeknd)

Álbum do Ano: “To Pimp a Butterfly” (Kendrick Lamar) // “1989” (Taylor Swift) // “Sound & Color” (Alabama Shakes) // “Traveller” (Chris Stapleton) // “Beauty Behind the Madness” (Weeknd)

Canção do Ano: “Blank Space” (Taylor Swift) // “Thinking Out Loud” (Ed Sheeran) // “Alright” (Kendrick Lamar) // “See You Again” (Wiz Khalifa) // “Girl Crush” (Litte Big Town)

Artista Revelação: Courtney Barnett // James Bay // Sam Hunt // Tori Kelly //Meghan Trainor

Melhor Performance Pop Solo: “Heartbeat Song” (Kelly Clarkson) // “Love Me Like You Do” (Ellie Goulding) // “Thinking Out Loud” (Ed Sheeran) // “Blank Space” (Taylor Swift) // “Can’t Feel My Face” (The Weeknd)

Melhor Performance Pop Dupla/Grupo: “Ship To Wreck” (Florence + The Machine) // “Sugar” (Maroon 5) // “Uptown Funk” (Mark Ronson e Bruno Mars) // “Bad Blood” (Taylor Swift e Kendrick Lamar) // “See You Again” (Wiz Khalifa e Charlie Puth)

Melhor Álbum Vocal Pop Tradicional: “The Silver Lining: The Songs Of Jerome Kern” (Tony Bennett e Bill Charlap) // “Shadows In The Night” (Bob Dylan) // “Stages” (Groban) // “No One Ever Tells You” (Seth MacFarlane) // “My Dream Duets” (Barry Manilow)

Melhor Álbum Vocal Pop: “Piece By Piece” (Kelly Clarkson) // “How Big, How Blue, How Beautiful” (Florence & The Machine) // “Uptown Special” (Mark Ronson) // “1989” (Taylor Swift) // “Before This World” (James Taylor)

Melhor Álbum Pop Latino: “Terral” (Pablo Alborán) // “Healer” (Alex Cuba) // “Sirope” (Alejandro Sanz) // “Algo Sucede” (Julieta Venegas) // “A Quien Quiera Escuchar” (Ricky Martin)

Melhor Gravação Dance: “We’re All We Need” (Above & Beyond Featuring Zoë Johnston) // “Go” (The Chemical Brothers Featuring Q-Tip) // “Never Catch Me” (Flying Lotus e Kendrick Lamar) // “Runaway (U & I)” (Galantis) // “Where Are Ü Now” (Skrillex, Diplo e Justin Bieber)

Melhor Álbum Dance/Eletrônica: “Our Love” (Caribou) // “Born In The Echoes” (The Chemical Brothers) // “Caracal” (Disclosure) // “In Colour” (Jamie XX) // “Skrillex And Diplo Present Jack Ü” (Skrillex And Diplo)

Melhor Performance Rock: “Don’t Wanna Fight” (Alabama Shakes) // “What Kind Of Man” (Florence & The Machine) // “Something From Nothing” (Foo Fighters) // “Ex’s & Oh’s” (Elle King) // “Moaning Lisa Smile” (Wolf Alice)

Melhor Performance Metal: “Identity” (August Burns Red) // “Cirice” (Ghost) // “512” (Lamb Of God) // “Thank You” (Sevendust) // “Custer” (Slipknot)

Melhor Canção Rock: “Don’t Wanna Fight” (Alabama Shakes) // “Ex’s & Oh’s” (Elle King) // “Hold Back The River” (James Bay) // “Lydia” (Highly Suspect) // “What Kind Of Man” (Florence + The Machine)

Melhor Álbum de Rock: “Chaos And The Calm” (James Bay) // “Kintsugi” (Death Cab For Cutie) // “Mister Asylum” (Highly Suspect) // “Drones” (Muse) // “The Gray Chapter” (Slipknot)

Melhor Álbum Música Alternativa: “Sound & Color” (Alabama Shakes) // Vulnicura” (Björk) // “The Waterfall” (My Morning Jacket) // “Currents” (Tame Impala) // “Star Wars” (Wilco)

Melhor Performance R&B: “If I Don’t Have You” (Tamar Braxton) // “Breathing Underwater” (Hiatus Kaiyote) // “Planes” (Jeremih e J. Cole) // “Earned It (Cinquenta Tons de Cinza)” (The Weeknd) // “Rise Up” (Andra Day)

Melhor Performance R&B Tradicional: “He Is” (Faith Evans) // “Little Ghetto Boy” (Lalah Hathaway) // “Let It Burn” (Jazmine Sullivan) // “Shame” (Tyrese) // “My Favorite Part Of You” (Charlie Wilson)

Melhor Canção R&B: “Coffee” (Brook Davis & Miguel Pimentel) // “Earned It (Cinquenta Tons de Cinza)” (The Weeknd) // “Let It Burn” (Jazmine Sullivan) // “Really Love” (D’Angelo e The Vanguard) // “Shame” (Tyrese)

Melhor Álbum Urban Contemporâneo: “Ego Death” (The Internet) // “You Should Be Here” (Kehlani) // “Blood” (Lianne La Havas) // “Wildheart” (Miguel) // “Beauty Behind The Madness” (The Weeknd)

Melhor Álbum R&B: “Coming Home” (Leon Bridges) // “Black Messiah” (D’Angelo e The Vanguard) // “Cheers To The Fall” (Andra Day) // “Reality Show” (Jazmine Sullivan) // “Forever Charlie” (Charlie Wilson)

Melhor Performance Rap: “Apparently” (J. Cole) // “Back To Back” (Drake) // “Trap Queen” (Fetty Wap) // “Alright” (Kendrick Lamar) // “Truffle Butter” (Nicki Minaj, Drake & Lil Wayne) // “All Day” (Kanye West, Theophilus London, Allan Kingdom e Paul McCartney)

Melhor Colaboração Rap: “One Man Can Change The World” (Big Sean e Kanye West & John Legend) // “Glory” (Common e John Legend) // “Classic Man” (Jidenna e Roman GianArthur) // “These Walls” (Kendrick Lamar, Bilal, Anna Wise e Thundercat) // “Only” (Nicki Minaj, Drake, Lil Wayne e Chris Brown)

Melhor Canção Rap: “All Day” (Kanye West, Theophilus London, Allan Kingdom e Paul McCartney) // “Alright” (Kendrick Lamar) // “Energy” (Drake) // “Glory” (Common e John Legend) // “Trap Queen” (Fetty Wap)

Melhor Álbum Rap: “2014 Forest Hills Drive” (J. Cole) // “Compton” (Dr. Dre) // “If You’re Reading This Its Too Late” (Drake) // “To Pimp A Butterfly” (Kendrick Lamar) // “The Pinkprint” (Nicki Minaj)

Melhor Performance Country Solo: “Burning House” (Cam) // “Traveller” (Chris Stapleton) // “Little Toy Guns” (Carrie Underwood) // “John Cougar, John Deere, John 3:16” (Keith Urban) // “Chances Are” (Lee Ann Womack)

Melhor Performance Country Dupla/Grupo: “Stay A Little Longer” (Brothers Osborne) // “If I Needed You” (Joey+Rory) // “The Driver” (Charles Kelley, Dierks Bentley e Eric Paslay) // “Girl Crush” (Little Big Town) // “Lonely Tonight” (Blake Shelton e Ashley Monroe)

Melhor Canção Country: “Chances Are” (Lee Ann Womack) // “Diamond Rings And Old Barstools” (Tim McGraw) // “Girl Crush” (Little Big Town) // “Hold My Hand” (Brandy Clark) // “Traveller” (Chris Stapleton)

Melhor Álbum Country: “Montevallo” (Sam Hunt) // “Pain Killer” (Little Big Town) // “The Blade” (Ashley Monroe) // “Pageant Material” (Kacey Musgraves) // “Traveller” (Chris Stapleton)

Produtor do Ano: Jeff Bhasker // Dave Cobb // Diplo // Larry Klein // Blake Mills

Melhor Videoclipe: “LSD” (ASAP Rocky) // “I Feel Love (Every Million Miles)” (The Dead Weather) // “Alright” (Kendrick Lamar) // “Bad Blood” (Taylor Swift e Kendrick Lamar) // “Freedom” (Pharrell Williams)

Melhor Filme Musical: “James Brown: Mr. Dynamite” // “Sonic Highways” // “What Happened, Miss Simone?” // “The Wall” // “Amy”

Você confere a lista completa de vencedores acessando a página oficial do “Grammy Awards”.

Conheça os vencedores do “Globo de Ouro 2016”

Ontem, 10/01/16, aconteceu em Beverly Hills, na Califórnia, a 73ª edição do “Globo de Ouro”, um dos mais prestigiados eventos que condecoram os melhores profissionais do cinema e da televisão que mais brilharam durante o ano antecessor. Todavia, diferente da última edição do “American Music Awards”, a qual tive a oportunidade de acompanhar pela TV para mais tarde elaborar um breve resumão com os melhores momentos da celebração, desta vez eu não pude me ligar ao que ocorreu pelo percorrer deste concorridíssimo evento – e, por esta razão, apenas relacionarei, ao final desta publicação, a lista completa de todos os vencedores da noite.

Entre diversos nomes que tanto fizeram bonito em 2015, gostaria, porém, de destacar dois em especial: o primeiro deles, por óbvio, é o ator brasileiro Wagner Moura, indicado por sua tão elogiada participação na série de TV norte-americana “Narcos”, por “Melhor Ator em Série Dramática”. Apesar de não levar a melhor e perder para Jon Hamm (por sua atuação em “Mad Men”), a noite foi de bastante comemoração para os fãs da cantora (e agora atriz) Lady Gaga, o nosso segundo destaque da noite, quem venceu na categoria “Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para a TV”, por seu papel em “American Horror Story: Hotel”.

A seguir, confira a lista completa com todos os indicados e vencedores da premiação (nomes em negrito revelam quem levou o prêmio para casa) e saiba se o seu ator favorito se saiu bem em alguma das 25 categorias que consagram os melhores do cinema e da televisão para o “Globo de Ouro”:

CINEMA

Leonardo DiCaprio, o vencedor de “Melhor Ator por Filme Dramático” (por “O Regresso”)

Melhor Filme de Drama: “Carol” // “Mad Max: Estrada da Fúria” // “O Regresso” // “O Quarto de Jack” // “Spotlight”

Melhor Ator de Drama: Bryan Cranston (“Trumbo”) // Leonardo DiCaprio (“O Regresso”) // Michael Fassbender (“Steve Jobs”) // Eddie Redmayne (“A Garota Dinamarquesa”) // Will Smith (“Concussion”)

Melhor Atriz de Drama: Cate Blanchett (“Carol”) // Brie Larson (“O Quarto de Jack”) // Rooney Mara (“Carol”) // Saoirse Ronan (“Brooklyn”) // Alicia Vikander (“A Garota Dinamarquesa”)

Melhor Filme de Comédia ou Musical: “A Grande Aposta” // “Joy: O Nome do Sucesso” // “Perdido em Marte” // “A Espiã que Sabia de Menos” // “Descompensada”

Melhor Ator de Comédia ou Musical: Christian Bale (“A Grande Aposta”) // Steve Carell (“A Grande Aposta”) // Matt Damon (“Perdido em Marte”) // Al Pacino (“Não Olhe Para Trás”) // Mark Ruffalo (“Sentimentos que Curam”)

Melhor Atriz de Comédia ou Musical: Jennifer Lawrence (“Joy: O Nome do Sucesso”) // Melissa McCarthy (“A Espiã que Sabia de Menos”) // Amy Schumer (“Descompensada”) // Maggie Smith (“A Senhora da Van”) // Lily Tomlin (“Grandma”)

Melhor Diretor: Todd Haynes (“Carol”) // Alejandro González Iñarritu (“O Regresso”) // Tom McCarthy (“Spotlight”) // George Miller (“Mad Max: A Estrada da Fúria”) // Ridley Scott (“Perdido em Marte”)

Melhor Roteiro: “O Quarto de Jack” // “Spotlight” // “A Grande Aposta” // “Steve Jobs” // “Os Oito Odiados”

Melhor Filme Estrangeiro: “O Novíssimo Testamento” // “O Clube” // “O Esgrimista” // “Cinco Graças” // “O Filho de Saul”

Melhor Animação: “Anomalisa” // “O Bom Dinossauro” // “Divertida Mente” // “Snoopy e Charlie Brown – Peanuts, o Filme” // “Shaun, o Carneiro”

Melhor Ator Coadjuvante: Paul Dano (“Love & Mercy”) // Idris Elba (“Beasts of no Nation”) // Mark Rylance (“Ponte dos Espiões”) // Michael Shannon (“99 Homes”) // Sylverster Stallone (“Creed”)

Melhor Atriz Coadjuvante: Jane Fonda (“Youth”) // Jennifer Jason Leigh (“Os Oito Odiados”) // Helen Mirren (“Trumbo”) // Alicia Vikander (“Ex Machina: Instinto Artificial”) // Kate Winslet (“Steve Jobs”)

Melhor Trilha Sonora: Carter Burwell (“Carol”) // Alexandre Desplat (“A Garota Dinamarquesa”) // Ennio Morricone (“Os Oito Odiados”) // Daniel Pemberton (“Steve Jobs”) // Ryuichi Sakamoto e Alva Noto (“O Regresso”)

Melhor Canção: “Love Me Like You Do”, por Ellie Goulding (“Cinquenta Tons de Cinza”) // “One Kind of Love”, por Brian Wilson (“Love & Mercy”) // “See You Again”, por Wiz Khalifa e Charlie Puth (“Velozes e Furiosos 7”) // “Simple Song #3”, por David Lang (“Youth”) // “Writing’s on the Wall”, por Sam Smith (“007 Contra Spectre”)


TELEVISÃO

Lady Gaga, a vencedora de “Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para a TV” (por “American Horror Story: Hotel”)

Melhor Série de Drama: “Empire” // “Game of Thrones” // “Mr. Robot” // “Narcos” // “Outlander”

Melhor Ator em Série Dramática: Wagner Moura (“Narcos”) // Jon Hamm (“Mad Men”) // Rami Malek (“Mr. Robot”) // Bob Odenkirk (“Better Call Saul”) // Liev Schreiber (“Ray Donovan”)

Melhor Atriz em Série Dramática: Caitriona Balfe (“Outlander”) // Viola Davis (“How To Get Away With Muder”) // Eva Green (“Penny Dreadful”) // Taraji P. Henson (“Empire”) // Robin Wright (“House of Cards”)

Melhor Série de Comédia ou Musical: “Mozart in the Jungle” // “Orange is the New Black” // “Silicon Valley” // “Transparent” // “Veep” // “Casual”

Melhor Ator em Série de Comédia ou Musical: Aziz Ansari (“Master of None”) // Gael García Bernal (“Mozart in the Jungle”) // Rob Lowe (“The Grinder”) // Patrick Stewart (“Blunt Talk”) // Jeffrey Tambor (“Transparent”)

Melhor Atriz em Série de Comédia ou Musical: Rachel Bloom (“Crazy Ex-girlfriend”) // Jamie Lee Curtis (“Scream Queens”) // Julia Louis-Dreyfus (“Veep”) // Gina Rodriguez (“Jane the Virgin”) // Lily Tomlin (“Grace and Frankie”)

Melhor Minissérie ou Filme para TV: “American Crime” // “American Horror Story: Hotel” // “Fargo” // “Flesh & Bone” // “Wolf Hall”

Melhor Ator em Minissérie ou Filme para a TV: Idris Elba (“Luther”) // Oscar Isaac (“Show Me a Hero”) // David Oyelowo (“Nightingale”) // Mark Rylance (“Wolf Hall”) // Patrick Wilson (“Fargo”)

Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para a TV: Kirsten Dunst (“Fargo”) // Lady Gaga (“American Horror Story: Hotel”) // Sarah Hay (“Flesh & Bone”) // Felicity Huffman (“American Crime”) // Queen Latifah (“Bessie”)

Melhor Ator Coadjuvante em Série, Minissérie ou Filme para a TV: Alan Cumming (“The Good Wife”) // Damian Lewis (“Wolf Hall”) // Ben Mendelsohn (“Bloodline”) // Tobias Menzies (“Outlander”) // Christian Slater (“Mr. Robot”)

Melhor Atriz Coadjuvante em Série, Minissérie ou Filme para a TV: Uzo Aduba (“Orange is the New Black”) // Joanne Froggatt (“Downton Abbey”) // Regina King (“American Crime”) // Maura Tierney (“The Affair”) // Judith Light (“Transparent”)


Por sua grande contribuição ao cinema ao longo de uma carreira com mais de quarenta anos, o ator Denzel Washington recebeu o prêmio Cecil B. DeMille (o “Globo de Ouro” honorário) das mãos de Tom Hanks, com quem contracenou no longa-metragem “Filadélfia”, de 1993. Mais do que merecido, não é mesmo?

Resumão “American Music Awards 2015”: Saiba o que de melhor rolou na noite da premiação

Não é de hoje que o pessoal tem reclamado em suas redes sociais sobre o nível da maioria dos festivais televisionados de música internacional que aconteceram nos últimos anos. Seja pelo antigo prestígio do “Grammy” ou pela já conhecida popularidade do “VMA” e do “EMA”, o “American Music Awards” é outro evento de grande renome que, de uns tempos para cá, passou a agradar menos ao público se compararmos suas badaladas edições da década passada com as últimas que foram ao ar. Acostumados a ver algumas das mais bem sucedidas veteranas da música pop se esbaldando em cima dos palcos e levando para os fãs seus maiores sucessos musicais, muitas pessoas acabam por recusar as novas atrações anunciadas pela equipe da premiação e relutam à acompanhar o que tem pintado atualmente por lá.

Contudo, para surpresa de muitos (e inclusive minha), a 43ª edição da premiação que foi ao ar na noite de ontem (22/11), em LA, chegou para agradar não apenas quem curte o já tradicional pop mainstream, mas também ao público das músicas country, rap, hip-hop, R&B, rock e dance. Com apresentações agendadas de Coldplay, Walk the Moon, Gwen Stefani, Carrie Underwood, The Weeknd e tantos outros artistas de peso, o destaque mesmo ficou com os nomes a seguir selecionados que não tiveram medo algum de representar a profissão e honrar as épicas edições passadas (que finalmente puderam receber uma digna continuação). Longe de mim insinuar que a edição de 2014 do “AMA” tenha sido ruim (até porque Beyoncé, Taylor Swift e Selena Gomez ganharam aquele 23/11/14 sem grandes esforços), mas a deste ano, de fato, entrou para a história.

A seguir, saiba quais foram os grandes destaques da noite e o porquê de eles ganharem este post especial:


Jennifer Lopez

Abrindo a cerimônia com grande estilo e desenvoltura, a anfitriã Jennifer Lopez foi, sem sombra de dúvidas, uma das responsáveis por eternizar em cima dos palcos um dos momentos mais inesquecíveis do “American Music Awards 2015” (e também de sua carreira). Fazendo uma versão balada-vocal do seu hit memorável “Waiting For Tonight” (de 1999), JLo surpreendeu o telespectador e o pessoal da plateia em um show que incluiu muita voz, talento e presença de palco. Esbanjando bastante simpatia e proximidade com o público, Lopez utilizou-se do “AMA 2015” para mostrar aos haters que possui muito poder em seu gogó e que o fato de ser uma artista mainstream não a faz ser menos original. Executando, ainda, diversas coreografias complexas dedicadas aos maiores sucessos do ano, JLo mostra aos 46 anos o porquê de merecer o título de “melhor dançarina contemporânea” em razão da maestria ao contagiar todo mundo com seu quente sangue latino.

Nicki Minaj

Atualmente chamada por muitos de “A Rainha do Rap”, Nicki Minaj não foi uma das estrelas que levou suas músicas para o palco do “AMA” (e nem chegou apresentar qualquer das importantes e disputadas categorias), mas, sua presença no evento foi o bastante para fazer dela uma das figuras mais imponentes por ali. Usando um vestido que valorizava todas as curvas de seu belo corpo, Minaj mostrou que possui uma forte base de fãs (os votos da premiação são dados pelo público) e que sua influência feminina mostram-se fatores imprescindíveis para todo o sucesso alcançado em tão pouco tempo. Vencendo Drake, Fetty Wap e J. Cole, a caribenha de Trinidad e Tobago fez bonito ao abocanhar os prêmios de “Artista Rap/Hip-Hop” e “Álbum Rap/Hip-Hop”, com o aclamado “The Pinkprint”.

Selena Gomez

Movendo a era “Revival” com bastante sensualidade e classe, Selena Gomez foi outra estrela da noite que não decepcionou com sua performance super impactante de “Same Old Love”. Fazendo uso de um visual totalmente sombrio (em oposição ao clean usado na edição passada da premiação para sua apresentação de “The Heart Wants What It Wants”), Gomez pode ser vista carregada por dançarinos enquanto entoava os poderosos versos do 2º single de seu 2º disco em carreira solo. Arriscando-se nos passos de dança e jogando cabelo sempre que possível, um break inédito foi perfeitamente incluído antes do último refrão de “Same Old Love” para dar um gás extra à grandiosidade de sua presença nos palcos. Destaque para o comprometimento de Selena, que tem, cada vez mais, melhorado consideravelmente a questão vocal nas últimas apresentações que encabeçou.

Demi Lovato e Alanis Morissette

Iniciando cheia de atitude com a sua “Confident”, Demi Lovato também escolheu um look mais dark com um modelito justo ao corpo digno de uma dançarina de cabaré para introduzir ao público a sua noite cheia de brilho e confiança. Com uma pegada mais rock, o palco ficou repleto de luzes enquanto a moça dava uma amostra de todo o seu poderio vocal e esbanjava as curvas recém adquiridas em sua atual fase de superação e aceitação. Bem semelhante ao “VMA” de 2003 que cortou o beijo na boca de Madonna em Christina Aguilera para mostrar a reação de Justin Timberlake na plateia (ex de Britney Spears), Joe Jonas (ex de Lovato) também acabou sendo focalizado pelas lentes da câmera durante a apresentação da cantora. Mais tarde, a ex-Disney star acabou voltando aos poucos para colaborar com Alanis Morissette na clássica “You Oughta Know”, do disco “Jagged Little Pill” (1995). Deixando as pessoas cheias de êxtase ao fazer uma releitura de um dos maiores hits dos anos 90, a nostálgica performance da dupla casou bem e deu aos convidados da noite mais um motivo para saudar a genialidade da veterana canadense. Um encontro de talentos de tirar o fôlego!

Meghan Trainor e Charlie Puth

Começando os trabalhos com uma versão solo bem vocal de “Like I’m Gonna Lose You” (o dueto de Meghan com o John Legend que no palco do “AMA” foi apresentado ao lado de backing vocals que também eram dançarinas), no meio da performance a loira convidou Charlie Puth para uma colaboração cheia de romantismo e alegria. Trazendo a pegação do vídeo de “Marvin Gaye” para o evento, os cantores resolveram mostrar a cena editada do clipe oficial que não pode ser vista pelo YouTube para deixar todo mundo de boca aberta – seja da plateia, seja do aconchego do sofá de casa. Com um beijaço interminável e totalmente inesperado, Trainor e Puth devem se sentir orgulhosos por inserir em nossas cabeças a pergunta que não quer calar: foi profissional ou teve algo a mais ali? (Já estamos torcendo para que o casal oficialize logo o namoro).

One Direction

Levando até o público uma energia contagiante, a banda inglesa formada por Harry, Louis, Niall e Liam se apresentou na noite de ontem com “Perfect”, o 2º single do recém-lançado 5º disco de inéditas do One Direction: “Made in the A.M.”. Pela primeira vez em muito tempo, o destaque da apresentação não ficou apenas com Harry Styles – que em minha humilde opinião parecia ser o menos motivado (ou mais cansado) –, tendo os outros 3 meninos desempenhado perfeitamente a sua parte correspondente da música chiclete. Com uma harmonia inigualável, é bom ver que Zayn Malik pouco fez falta para os demais membros do grupo enquanto quase todos da plateia entoavam a letra da música junto com as outras milhões de pessoas que assistiam direto de suas casas.

Ariana Grande

Que Ariana Grande é sinônimo de talento isso todos já estão cansados de saber, mas, a edição de ontem do “American Music Awards” chegou para consagrar mais ainda o nome da novata que começou fazendo musicais pela “Broadway” e programas infantis para o “Nickelodeon”. Dando vida à primeira apresentação televisionada de “Focus”, o carro-chefe de “Moonlight” (álbum que deverá sair somente no ano que vem), Grande nos introduziu com uma abertura bem vintage de sua atual música de trabalho. Mais uma vez dando um show de voz e coreografia, a prova do talento de Ariana ficou com as meninas do Fifth Harmony que não pararam um minuto sequer de dançar ao som do hit da colega que debutou em #7 na “Billboard Hot 100”. Levando para casa o prêmio de “artista feminino pop-rock”, Ari correspondeu o amor incondicional de seus fãs ao fazer um discurso todo humilde e emotivo agradecendo os grandes responsáveis pela sua vitória na disputada categoria do evento.

Celine Dion

É incrível que a após tantos anos, a senhorita Celine Dion consiga se sobressair e continuar nos emocionando depois de dar voz a um dos temas mais memoráveis dos cinemas lá de 97, com “My Heart Will Go On”. Apresentada pelo ganhador do “Oscar” e vocalista da banda “Thirty Seconds to Mars”, Jared Leto, Dion fez um tributo aos atuais atentados sofridos pela França interpretando “Hymne à l’amour”, de Édith Piaf. Dona de uma técnica vocal invejável, Celine encantou quem estava acomodado nos assentos defronte ao palco e fez muita gente chorar com seu talento esmagador. Alguém mais duvida que a diva é a maior vocalista da atualidade entre os antigos nomes da indústria que continuam na ativa dando aos seus admiradores projetos musicais em uma era onde playback e autotune são predominantes?

Justin Bieber

Encerrando a noite com uma apresentação acústica do atual sucesso “What Do You Mean?”, Justin Bieber ainda aproveitou sua presença no evento para interpretar “Where Are Ü Now” e “Sorry” para quem acompanhava o “American Music Awards” no Microsoft Theatre. Arrasando na coreografia e arrancando gritos do pessoal que estava assistindo a tudo de olhos bem abertos, o canadense fez a Britney na “Dreaming Within a Dream Tour” e levou uma cachoeira artificial para o palco da premiação. Cantando o 2º single do “Purpose”, seu 4º disco de inéditas, a performance visualmente impressionante fechou com chave de ouro uma das melhores edições da premiação que foi regada a muito talento, criatividade e momentos inesquecíveis.


Vídeos e lista de vencedores

Confira acessando este link todos os vídeos com as performances da noite e, mais abaixo, a lista completa de indicados/vencedores do “American Music Awards 2015” retirada do próprio site oficial do evento (nomes em negrito revelam quem levou a melhor para casa):


Artista do Ano: Luke Bryan // Ariana Grande // Maroon 5 // Nicki Minaj // One Direction // Ed Sheeran // Sam Smith // Taylor Swift // Meghan Trainor // The Weeknd

Artista Revelação: Fetty Wap // Sam Hunt // Tove Lo // Walk The Moon // The Weeknd

Música do Ano: “See You Again” (Wiz Khalifa com colaboração de Charlie Puth) // “Uptown Funk!” (Mark Ronson com colaboração de Bruno Mars) // “Thinking Out Loud” (Ed Sheeran) // “Blank Space” (Taylor Swift) // “Can’t Feel My Face” (The Weeknd)

Colaboração do Ano: Wiz Khalifa e Charlie Puth (“See You Again”) // Rihanna & Kanye West com Paul McCartney (“FourFiveSeconds”) // Mark Ronson e Bruno Mars (“Uptown Funk!”) // Skrillex & Diplo com Justin Bieber (“Where Are Ü Now”) // Taylor Swift e Kendrick Lamar (“Bad Blood”)

Artista Masculino Pop/Rock: Nick Jonas // Ed Sheeran // Sam Smith

Artista Feminino Pop/Rock: Ariana Grande // Taylor Swift // Meghan Trainor

Dupla ou Grupo Pop/Rock: Maroon 5 // One Direction // Walk The Moon

Disco de Pop/Rock: “X” (Ed Sheeran) // “In The Lonely Hour” (Sam Smith) // “1989” (Taylor Swift)

Artista Masculino Country: Jason Aldean // Luke Bryan // Sam Hunt

Artista Feminino Country: Kelsea Ballerini // Miranda Lambert // Carrie Underwood

Dupla ou Grupo Country: Zac Brown Band / Florida Georgia Line / Little Big Town

Disco Country: “Old Boots, New Dirt” (Jason Aldean) // “Anything Goes” (Florida Georgia Line) // “Montevallo” (Sam Hunt)

Artista Rap/Hip-Hop: Drake // Fetty Wap // Nicki Minaj

Álbum Rap/Hip-Hop: “2014 Forest Hills Drive” (J. Cole) // “If You’re Reading This It’s Too Late” (Drake) // “The Pinkprint” (Nicki Minaj)

Artista Masculino Soul/R&B: Chris Brown // Trey Songz // The Weeknd

Artista Feminino Soul/R&B: Beyoncé // Mary J. Blige // Rihanna

Disco Soul/R&B: “X” (Chris Brown) // “Black Messiah” (D’Angelo and The Vanguard) // “Beauty Behind the Madness” (The Weeknd)

Artista Alternativo: Fall Out Boy // Hozier // Walk The Moon

Artista Adulto/Contemporâneo: Ed Sheeran // Taylor Swift // Meghan Trainor

Artista Latino: Enrique Iglesias // Ricky Martin // Romeo Santos

Artista Inspiração Contemporânea: Casting Crowns // Hillsong United // MercyMe

Artista Electronic Dance Music (EDM): Calvin Harris // David Guetta // Zedd

Trilha Sonora: “Cinquenta Tons de Cinza” // “Empire” // “A Escolha Perfeita 2”


Qual foi o seu momento favorito da premiação? Deixe a sua opinião no espaço para comentários a seguir.